sábado, dezembro 01, 2007

Sábado ensolarado e eu aqui no repouso. Que chato! Organizei meus CDs, ouvi música, li. Fiquei enfadada. Que vontade de caminhar, passear...
Minha mãe está comigo, fez um franquinho delicioso! Hummmmmm
Biel está se comportando bem. estamos na luta para segurar até a hora certa dele nascer.

Fiquei muito incomodada, angustiada mesmo ao saber que uma ex aluna, novinha, vai ganhar bebê neste mês e não tem absolutamente nada para o enxoval. Liguei para algumas amigas, pedi ajuda, ficaram de ver se conseguem roupinhas usadas nas igrejas. Cortou meu coração. Mãe solteira, muito carente, sem a menor experiência.


Já passei nos blogs das amigas, conheci blogs e sites novos.
Das minhas andanças pelos sites trouxe trechos do livro “As 500 melhores coisas de ser mãe”, das publicitárias mineiras Juliana Sampaio e Laura Guimarães- editora Matriz:

1. A primeiríssima das melhores coisas de ser mãe é, obviamente, fazer o filho.

2. A emoção do teste positivo. Não importa se é uma faixinha azul se formando naqueles segundos que parecem anos ou um envelope aberto por mãos trêmulas, com algum número impresso nele acima de 50 mUI/ml. O coração quase sai pela boca.

3. Curtir a barriga crescendo devagarzinho. E ficar horas e horas se olhando no espelho, estufando o abdome. (As grávidas são o único tipo de mulher que torce por não conseguir mais entrar nas próprias roupas.)

4. Entrar com orgulho na fila preferencial de bancos, supermercados, lojas e órgãos públicos, mesmo que algumas pessoas ao redor olhem torto para você (porque, infelizmente, tem muita gente que se incomoda com os direitos alheios, quando eles exigem um mínimo de compreensão).
5. Sentir seu peito se enchendo de leite e ficando cada dia mais lindo. (Seu sutiã aumenta dois ou três números, sem silicone!)

6. Fazer uma ultra-sonografia e ouvir outro coração batendo dentro de você. Perceber que o seu, a partir de agora, vai estar para sempre à mercê daquela criaturinha.

8. Sentir o bebê se mexer na sua barriga pela primeira vez. (Mas vale ressaltar que esse prazer é mais bem aproveitado por aquelas gestantes que nunca assistiram ao filme Alien, o oitavo passageiro.)

305. Jogar bola: futebol, vôlei, peruzinho etc. E acabar entrando em forma.

306. Brincar de carrinho e ensinar educação no trânsito.

307. Embarcar no faz-de-conta.

308. Implicar com a Barbie e ensinar sua filha a não querer ser uma.
309. Implicar com os Power Rangers e ensinar ao seu filho o poder da Não-Violência.

312. Criar meninos que também brincam de casinha e meninas que também brincam de super-heróis. E pensar que no fundo o que você está criando é um mundo melhor.

313. Ouvir a palavra “mãe” dirigida a você. E se acostumar tanto com isso, que qualquer “manhê” gritado na rua você fica achando que é com você.

314. Passar a ver as crianças com outros olhos. (E, por isso mesmo, inconformar-se com a situação da infância por aí.)

315. Apiedar-se do ser humano.

316. Querer mudar o sistema. E realmente fazer alguma coisa pra isso, nem que seja dentro da sua casa.

318. Ensinar a seus filhos que os papéis vão no lixo azul, os plásticos no lixo vermelho, os vidros no lixo verde e as latas no lixo amarelo. Ver que eles aprendem mais rápido do que você.

319. Mesmo sendo uma superprofissional, se sentir realizada ao fim de um dia de mamadas, fraldas e papinhas.

320. Mesmo sendo uma supermãe, se sentir realizada ao fim de um dia de projetos e reuniões fora de casa.
321. Aprender o mantra “culpa não” e usá-lo várias vezes ao dia.

322. Superar a culpa.

323. Perguntar: que culpa?
.......

E esta oração:

Oracao da Gestante


Senhor,

Um sonho grávido revelou-me a realização de um desejo íntimo: ser mãe.
Pulsa no âmago do meu ser a semente vital, um broto inquieto que já brinca no meu ventre, transformando-o em um mundo maravilhoso.
Fico imaginando, ó Deus, a emoção que sentirei ao dar a luz esta criança, e alimentá-la com meu leite, dar-lhe banho, trocar as fraldas, acalentá-la e ensiná-la a dar os primeiros passos.
Sei que a vocação materna impõe constante dedicação, responsabilidade e amor, por isso, aceito sublime período de gestação, com muita esperança e alegria.
Dá-me energia para estar em paz comigo mesma.
Abençoa todas as gestantes e as mulheres que sonham um dia ser mães.
Ofereço este novo ser que vive em mim e que em breve irá me chamar carinhosamente de MÃE.
Peço-te, Senhor, que o abençoe.

AMÉM!


Belíssimo final de semana, minhas queridas! Beijos nos pimpolhos!

5 comentários:

.::Cidinha::. disse...

Amiga, deve ser mágico ter um ser crescendo dentro de si. Fiquei imaginando cada coisa que você escreveu. A única coisa que me deu o maior pavor foi a parte de sentir o peito encher de leite. Uso soutien tamanho 46, imagine quando eu engravidar???
Beijão e uma excelente semana.

Mariana (http://www.coisasdemae.eu) disse...

Olá Olá!

Vim cá deixar um beijinho e agradecer as visitas ao nosso cantinho. Já te adicionei ao bloglines, para me tornar uma leitora habitual!!

beijoka
Mariana

Carol (loucavidademae) disse...

Lu,
Realmente é tudo isso mesmo! Uma fase única e mágica na vida de uma mulher!
Só quem é mãe para saber, né?
Bjkas

Luciana Bernardo disse...

Momento mais que especial esse de ser mãe.. Ontem comprei um presentinho pro Biel, mas me dei conta que não tenho seu endereço.. então miga, me manda pelo e-mail pra eu despachar isso antes dele chegar.
Boa semana pra gente!!!!!

Cacau Ferreira disse...

Ai que delícia essas sensações... eu não gostei muito da minha gravidez no geral, mas todas essas coisas são muito boas!!!!
Que Deus abençoe muito o Bielzinho!

beijos!